3 de dezembro de 2016

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket

Comments
A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket | Amavelmente Irônica

Barnaby Brocket é um menino com uma família normal, que mora numa casa normal, que fica numa vizinhança normal. Mas ele tem algo que torna ele bem longe de ser normal: ele flutua.

Os pais de Barnaby sempre se orgulharam de ser uma família "normal", e mesmo depois do nascimento dele, tentavam manter as aparências, evitando ao máximo que ele saísse de casa. Mas é quando ele completa a idade em que tem que ir pra escola, que fica difícil fingir que ele não é diferente dos irmãos ou de qualquer criança.

Depois da coisa terrível que acontece com ele, Barnaby conhece muitas pessoas que também são diferentes e que também não foram aceitas por suas famílias, mas que conseguiram dar novos rumos as suas vidas.

Esse livro é sobre aceitação das diferenças, pelos outros mas principalmente por si mesmo. É sobre não precisar se encaixar num molde pré-existente na sociedade, a não ser que seja isso mesmo que você queira. E que não se encaixar pode trazer benefícios, apesar das dificuldades, e te trazer coisas boas que talvez com uma vida comum você não conseguisse.

Além da história ter vários níveis de entendimento, achei o fim bem metafórico, reforçando a questão da aceitação, de um jeito que pode ao mesmo tempo parecer terrível ou sublime. Uma leitura que eu recomendaria pra crianças maiores e também adultos, pois cada um conseguirá se ver num lado da história e aprender com ela.

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket | Amavelmente Irônica

Amei as ilustrações monocromáticas e o fato delas e o texto terem a mesma cor!


A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket foi escrito por John Boyne e tem ilustrações de Oliver Jeffers. Foi publicada pela Cia. das Letrinhas e tem 254 páginas.

1 de dezembro de 2016

Esopo

Comments
Esopo | Amavelmente Irônica

Fábulas fazem parte do imaginário de todos, desde a infância. Muitas das histórias que parentes e professores nos contam são fábulas, e muitas das que lemos nos livros também. Mas com o passar do tempo, nesse ritual em que a história passa de geração em geração, alguns detalhes das histórias se perdem ou se modificam. Às vezes também é preciso fazer adaptações, dependendo pra quem se vai contar.

Fábulas são, em geral, histórias curtas, onde muitas vezes os personagens principais são animais, e a estória surge de encontros entre esses animais, cada um com características já traçadas (raposa como esperta, traiçoeira, tartaruga como lenta, etc) e de onde se pode aprender uma lição, chamada de moral.

Assim que eu soube que podia existir mais do que o que eu conhecia sobre fábulas, fiquei curiosa pra ler algum livro com as versões completas. Achei essa edição, que além de tudo, é linda: capa em algo que parece uma camurça sintética, com o título impresso em serigrafia, e ilustrações simples, mas que mostram o tom verdadeiro dessas historietas.


Esopo | Amavelmente Irônica

Esopo | Amavelmente Irônica

Esopo | Amavelmente Irônica


Falar sobre essas histórias sem falar dessa edição específica é difícil, já que o jeito que ela foi construída deu o tom do livro todo. As cores escuras, as histórias escritas de forma seca, cada uma em uma página, sem pequenas ilustrações associadas (porque na verdade as ilustrações existentes, mesmo com traço simples, mostram a natureza cruel das fábulas e a sua associação (através da moral) com os comportamentos humanos.

Estamos acostumados a ver animais, principalmente em histórias tidas como infantis, como criaturas fofinhas e que só merecem nosso amor e apreciação. Mas enquanto lemos essas fábulas, lembramos que existe toda uma cadeia alimentar (alguns bichos precisam matar outros pra comer, o que é cruel mas também invevitável), e que algumas espécies carregam consigo características específicas que se tornam estigmas nas fábulas através dos anos. É nesse estigma que têm origem muitas expressões e metáforas ainda usadas para alguns aspectos do comportamento humano. Afinal, também somos animais, no fim de tudo, e também estamos suscetíveis a alguns comportamentos mais instintivos. Felizmente, temos a capacidade de ler as morais no fim das histórias e refletir sobre o nosso comportamento pessoal e como sociedade.

Esopo - Fábulas completas foi publicado pela (finada) Editora Cosac Naify, tem 564 páginas e capa semi-rígida.


Dezembro Literário

Comments

Dezembro Literário | Amavelmente Irônica

2016 foi o ano em que eu mais li livros até agora NA MINHA VIDA! Já foram 29 livros, fora os dois que estou lendo e mais dois na meta. Trinta livros pode parecer pouco pra quem lê 60 ou até 100 livros num ano (vocês tem meu respeito e admiração), mas me sinto orgulhosa de mim mesma, pois pra alguém que só lê continuamente há 5 ou 6 anos, e só leu cinco livrinhos no ano passado, isso já é uma grande conquista.

E é pra comemorar isso (e pra arrumar um motivo pra desencalhar todos os posts sobre livros de um jeito agradável) que eu criei o Dezembro Literário! Uma espécie de contagem regressiva até o natal, onde terá um post por dia, até o dia 25, terminando com um livro natalino!

Esse é o post oficial desse "especial" do mês de dezembro, e o lugar pra acompanhar onde os posts sairão, sendo atualizado diariamente (é só clicar nas imagens que têm o dia e o livro):

A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket











30 de novembro de 2016

Inktober 2016

Comments
Inktober 2016 | Amavelmente Irônica


O inktober é um desafio que acontece todo mês de outubro e estimula artistas e entusiastas a desenhar coisas com materiais que tenham tinta, criado por esse cara aqui.

Esse é o terceiro ano que eu participo e o primeiro em que eu completo todo o mês! Foi bem difícil conciliar com a agenda diária, mas eu imagino que ter um desafio diário diferente me ajudou a manter a motivação que sempre me faltou nos anos anteriores.

28 de novembro de 2016

Minhas primeiras tentativas com bordado

Comments
Primeiras tentativas com bordado | Amavelmente Irônica

Há pouco mais de dois anos atrás, comecei a me encantar com bordados. Já tinha um interesse nisso, mas ele foi deixado de lado por um tempo. Uns bons anos atrás, já cheguei a tentar alguma coisa com uns materiais que minha mãe tinha, sem nenhuma base ou inspiração, só intuitivamente, rs.

6 de novembro de 2016

A Sorte do Agora / The Good Luck of Right Now

Comments
A Sorte do Agora / The Good Luck of Right Now (Livro) | Amavelmente Irônica

Bartholomew tem 39 anos e se sente completamente perdido depois da morte de sua mãe. Depois de toda uma vida morando com ela, ele não sabe como seguir adiante. Sem trabalho, diploma ou parentes, com a ajuda de Richard Gere, o padre do bairro e uma estudante de psicologia, Bartholomew vai descobrindo cada vez mais coisas sobre ele, sobre a mãe e começa a ampliar seus horizontes.

Esse livro é sobre a falta que alguém querido faz quando se vai, e também sobre descobrir coisas sobre si mesmo que você nunca achou que precisaria questionar. É depois que começa a escrever cartas (sem enviar) pro ator Richard Gere (de quem sua mãe era fã), que o personagem principal se dispõe a pesquisar mais sobre o mundo, sair mais de casa e traçar novas metas pra vida. O autor, Matthew Quick, sempre fala sobre transtornos mentais de uma forma sutil e até engraçada, tratando as pessoas que sofrem disso como elas são, pessoas normais.

Com um humor suave e plot twists inesperados e às vezes desejados, The good luck of right now é um livro que me causa sentimentos bons, mesmo com a história se passando num momento complexo da vida do protagonista. Gosto de ver personagens mais velhos com dilemas que parecem exclusivos dos jovens, mas que mostram que qualquer pessoa pode se sentir sem rumo e que sempre é hora de se achar.

Li esse livro em inglês, de uma edição de capa flexível (Paperback) que ganhei de aniversário, mas sei que já foi traduzido pela editora Intrínseca com o título 'A Sorte do Agora'.

Em geral, é assim que me sinto com livros desse tipo, romances que falam de pessoas com transtornos mentais, sem necessariamente dizer isso, mas sei que tem gente que se sente diferente.

E você? Conta aí!

1 de novembro de 2016

Papéis de Parede de Novembro

Comments

Papéis de Parede de Novembro | Amavelmente Irônica

Hey! Finalmente, com alguma sobra de pontualidade, aqui está o papel de parede de novembro nas suas versões!

Pra baixar as gemas de pedras preciosas, é só clicar nos links abaixo da imagem.

Papéis de Parede de Novembro | Amavelmente Irônica

;