3 de dezembro de 2016

A Wrinkle In Time

A Wrinkle In Time (Uma Ruga no Tempo) | Amavelmente Irônica

Esse livro foi uma surpresa, comprei na Barnes & Noble quando tava em Orlando, e não sabia nada dele, mas como gostei do livro e da capa, acabei levando.

Pouco antes de começar a ler, descobri que esse livro era um clássico infanto-juvenil americano, que tinha sido lido e recomendado por gerações, que mistura fantasia e ficção científica.

Margaret (Meg), tem doze anos, é uma menina que não se encaixa e acha que não consegue fazer nada certo. Desde o desaparecimento do seu pai, as coisas pioraram, e ela, a mais velha de quatro irmãos, se sente na obrigação de ajudar a mãe a enfrentar a situação, mas não consegue. Seu irmão mais novo, Charles Wallace, é uma criança diferente (eu diria algo como superdotado), entende as aflições da irmã e tenta ajudar como pode. Ela não tem amigos, vai mal na escola, e começa a se perguntar se o que falam sobre seu pai ter largado a família para ficar com outra é verdade. Ao mesmo tempo, sabe que o pai a amava muito, e gostaria mesmo de saber o que aconteceu realmente.

Essa história começa com as angústias de uma menina que toma pra si os problemas da família, mas é muito mais que isso: uma trama densa e cativante (para livros dessa faixa etária), uma mistura de metafísica e fantasia, e que faz que a personagem se entenda ao longo da história e faça as pazes consigo mesma e aprenda que até nossos defeitos são importantes, e que em muitos momentos são eles que nos ajudam a solucionar problemas.

Esse livro é o primeiro de uma série de cinco livros chamada "Time Quintet" (já quero ler todos os outros!) e sem dúvida é algo que pode despertar em quem o lê a curiosidade de aprender sobre física quântica ou astronomia em geral.

A edição que eu tenho de A Wrinkle In Time foi publicada pela Square Fish (americana) e eu ainda não vi nenhuma tradução pra português.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Então, o que achou?
Sua opinião é sempre importante (:

;